agencia

Notícias

Atualizado em 25/01/2017 às 16h54

Prefeitura de São Luís intensifica ações de contingência para período chuvoso

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura de São Luís intensifica ações de contingência para período chuvosoComo parte das ações efetivas voltadas ao período chuvoso na capital, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc), atualizou o Plano de Contingência que define as estratégias a serem utilizadas para combate e prevenção a desastres como enchentes e alagamentos. A ação soma-se a outras implantadas pela gestão municipal que, mesmo antes de iniciar o período chuvoso na capital, investiu em serviços como desobstrução de córregos, bueiros, galerias, bem como em obras de drenagem de grande impacto, o que está sendo determinante para a redução do número de ocorrências no período.

"Uma das grandes preocupações da nossa gestão sempre foi garantir a melhoria da qualidade de vida da população. Nesse sentido investimos fortemente nos últimos quatro anos na construção de canais como o do Rio das Bicas, Gangan e Cohatrac. O trabalho preventivo que vem sendo feito pela Prefeitura envolve várias secretarias e órgãos, a exemplo da Defesa Civil, que já concluiu o mapeamento das áreas de risco que inclui prédios ocupados em situação precária e que ofereçam risco aos moradores. Em outra frente, a trabalhamos na limpeza das galerias das principais vias, viadutos e de canais em vários bairros da capital", disse o prefeito Edivaldo.

Coordenado pela Semusc, via Superintendência de Defesa Civil Municipal (Sudec), o Plano de Contingência foi atualizado por um comitê formado pelas secretarias municipais de Educação (Semed), Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), da Criança e Assistência Social (Semcas), Segurança Alimentar (Semsa), Habitação e Hurbanismo (Semurh/Blitz Urbana); Desporto e Lazer (Semdel), Trânsito e Transporte (SMTT) e ainda Defesa Civil Estadual e Capitania dos Portos.

A partir do monitoramento constante das áreas de risco, tarefa que cabe à Defesa Civil Municipal, o comitê definiu as estratégias para o enfrentamento do período chuvoso e as respostas às situações iminentes de riscos nas áreas mapeadas.

"A adequação do Plano de Contingência é um alinhamento entre os órgãos e outros parceiros, para que a população tenha uma pronta resposta em casos de sinistro e também para trabalhar na prevenção. Todos nós somos Defesa Civil e precisamos trabalhar no apoio e no combate a esses sinistros", ressaltou o titular da Semusc, Breno Galdino.

No mês de dezembro, a Defesa Civil Municipal realizou o mapeamento das áreas de risco, no qual constatou a redução no número dos pontos de risco de 66 para 60. A redução, segundo Elitânia Barros, superintendente da Defesa Civil Municipal, é fruto das ações preventivas executadas pela Prefeitura de São Luís. "Com a adequação do plano, haverá uma maior agilidade dos trabalhos caso a população precise de um atendimento", destacou.

AÇÕES

Entre as obras de infraestrutura que impactaram positivamente para a diminuição das ocorrências durante as chuvas estão a construção dos canais do Rio das Bicas e Cohatrac, ambos já entregues pela Prefeitura à população. Também se inserem no rol de obras a drenagem do Jardim São Cristóvão (atrás do Banco do Brasil, da Avenida Guajajaras); São Bernardo, Parque Sabiás e Forquilha; Avenida São Jerônimo, na Apaco; e Santa Clara.

Além de melhoria da infraestrutura de bairros da capital, a Prefeitura de São Luís também realiza, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), os serviços de remoção mecanizada e manual de resíduos. A medida, além de manter a cidade limpa, é também preventiva contra alagamentos, tendo em vista que o descarte irregular de lixo acaba resultando no entupimento do sistema de drenagem urbana, impedindo o escoamento correto das águas pluviais.

"O trabalho de manutenção de bueiros e córregos é feito durante todo o ano e intensificado no período chuvoso. É uma política pública para garantir que o sistema de escoamento de água das bacias da cidade funcione", disse o secretário da Semosp, Antônio Araújo.

Estão sendo priorizadas as áreas mais críticas como canais do Cohatrac, do Gangan, do São Bernardo, Cidade Operaria, Areinha, Macaúba e limpeza das galerias nas principais vias. O trabalho de limpeza dos canais é feito em torno de cinco dias. Durante o serviço, são retirados em média 800 metros cúbicos de material, entre entulho e lixo. Na limpeza das avenidas são retiradas em torno de dez metros cúbicos.

A Lagoa da Jansen é outro local que está na programação da Semosp como uma das áreas prioritárias. No local, a equipe da Prefeitura está fazendo a limpeza no seu entorno visando melhorar a drenagem de água pluvial. Trabalho semelhante está sendo feito nas ruas do Centro, a exemplo da rua da Inveja e do Mocambo que receberam nesta semana serviço de limpeza de galerias e sarjetas. Equipes da secretaria também realizam toda semana limpeza e manutenção nos elevados a exemplo dos elevados da Cohab e Cohama.

COROADINHO

Famílias que vivem próximo ao canal do Coroadinho também foram beneficiadas com as obras de drenagem realizadas pela Prefeitura. Elas comemoram o fim dos alagamentos no local. A doméstica Vera Lúcia, que mora há 35 anos no bairro, disse que esse foi um problema que ficou no passado. "Agora não nos assustamos mais quando a chuva cai. Aqui é um novo bairro a partir da construção do canal", disse.

Também está satisfeita com a obra realizada pela Prefeitura a comerciante Edinalda Machado, 42 anos. "Sofri muito aqui. Quando chovia a minha casa enchia e custava muito para secar. Com o canal não acontece mais isso e hoje posso sair de casa com mais tranquilidade, pois não me preocupo em chegar em casa e encontrar a casa alagada", disse. "Aqui o maior problema era o escoamento da água. Hoje esse escoamento é mais rápido o que evita os grandes alagamentos", completou Robson Rodrigues.

O aposentado Manoel Corrêa, 90 anos, morador do bairro há mais de 40 anos, lembrou que que o local era uma área de mangue e por isso tinha tantos problemas. "Era preciso que um trabalho bem feito ocorresse para acabar com o problema. Agora cabe aos moradores terem consciência e não jogarem lixo nas galerias", disse.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem