agencia

Notícias

Atualizado em 14/11/2017 às 16h36

Prefeitura leva serviços de saúde a idosos no Dia Mundial do Diabetes

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Durante o evento, idosos receberam orientação nutricional, puderam aferir pressão e medir glicemia
No Dia Mundial do Diabetes, a Prefeitura de São Luís ofereceu uma programação especial no Centro de Atenção Integrada à Saúde do Idoso (Caisi), unidade vinculada à Secretaria Municipal de Saúde (Semus). O objetivo da ação foi fortalecer o trabalho já executado pelo centro e ampliar o alcance das informações sobre prevenção e controle da doença, especialmente entre os 17 mil idosos atualmente cadastrados na unidade. As atividades aconteceram nesta terça-feira (14).

"O diabetes é uma doença que vem crescendo no mundo, se tornando um grande desafio, e a Prefeitura, por orientação do prefeito Edivaldo, tem intensificado as ações de prevenção e controle. Os idosos são a parcela da população com maior incidência da doença; por isso, temos trabalhado na ampliação do acesso ao Programa do Diabetes e procurado conscientizar sobre mudança de hábitos", disse o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

No período da manhã, foram oferecidos serviços como avaliação e orientação nutricional, aferição de pressão e glicemia, palestra sobre o cuidado com a alimentação e atividade física com uma caminhada pelas ruas do bairro. À tarde, além das atividades na área da Atenção Básica e da palestra educativa sobre o Diabetes Mellitus, os idosos participaram de um aulão de dança. A programação contou com a participação dos profissionais que atuam na unidade.

A diretora administrativa do Caisi, Valéria Silva, afirmou que a atividade contribui para a oferta de um atendimento mais qualificado ao paciente. "Com ações assim, ampliamos os cuidados dispensados aos idosos atendidos na unidade. Os serviços possibilitam o acompanhamento da saúde dos pacientes e permitem que a equipe de profissionais da unidade possam desenvolver atividades especificas para atender melhor às necessidades", ressaltou a gestora.

MUDANÇA DE HÁBITOS

A enfermeira Polyanna Castro, coordenadora do grupo de hipertensos e diabéticos da unidade, explicou que o trabalho de combate às doenças crônicas envolve não só a terapia medicamentosa, mas toda uma mudança de hábitos de vida como a prática de exercícios físicos e uma alimentação adequada. Ela acrescenta que esse serviço pode impactar positivamente no atendimento nas unidades de saúde, reduzindo a demanda por serviços mais complexos.

"O Diabetes é uma doença que atinge muitos idosos e suas complicações podem levar à incapacidade. Pesquisas científicas indicam que com o trabalho na área da educação podemos reduzir em até 60% as complicações causadas por doenças crônicas como essa. Por isso, a nossa finalidade é, com atividades assim, promover a educação em saúde, sensibilizando os idosos para a importância do controle de doenças como essas, evitando a evolução no paciente", disse a enfermeira.

A aposentada Maria de Jesus Lima, 71 anos, mora no Maiobão e já é paciente da unidade. Durante atendimento de rotina, ela aproveitou para participar da ação e cuidar ainda mais da saúde. "Vim para a fisioterapia, acabei participando da ação e verificando a pressão e a glicemia. Gosto muito dos serviços aqui e não sei o que seria de mim se não fosse esse lugar. Eu estou amando ser atendida aqui. São todos muito atenciosos e tratam a gente muito bem", afirmou.

Além de ações como essas, os serviços do Caisi beneficiam pessoas como a aposentada Telma dos Santos, 61 anos. Há mais de 20 anos ela descobriu que tinha diabetes e, desde então, vem cuidando da saúde. Telma destacou como a assistência na unidade a favorece. "Tenho acompanhamento aqui e descobri formas de conviver com a doença. Me alimento de forma adequada e sempre que tenho dúvidas conto, através do grupo de convivência, o apoio do Caisi", disse.

SAIBA MAIS
Centro de Atenção Integrada à Saúde do Idoso
A unidade, localizada no Filipinho, oferece serviços especializados nas áreas de geriatria, educação física, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia, serviço social. O centro oferece também grupos de convivência sobre saúde do homem e estímulo à memória, além de atividades como artes manuais, pilates, coral, dança e terapia familiar. O Caisi possui cerca de 17 mil idosos cadastrados e atende à demanda de toda a cidade e também de municípios vizinhos.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem