agencia

Notícias

Atualizado em 06/12/2017 às 15h55

Prefeitura promove até quinta-feira (7) I Fórum Rede São Luís de Pontos de Cultura

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Público visita estandes das entidades culturais presentes ao I Fórum Rde São Luís de Pontos de CulturaApresentar resultados do projeto Rede São Luís de Pontos de Cultura, por meio de exposições, apresentações, palestras e rodas de conversa. Essa é a proposta do I Fórum Rede São Luís de Pontos de Cultura, que iniciou nesta terça-feira (5), às 19h, no Convento das Mercês. O fórum é realizado pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), e conta com a participação de 30 entidades culturais da cidade. A programação é aberta ao público e vai até quinta-feira (7).

"O fórum é especial por marcar o encerramento do primeiro ciclo do projeto Rede São Luís de Pontos de Cultura, que é uma prova de que o poder público e sociedade civil podem se articular para fomentar a cultura e uma sociedade mais igualitária", destacou o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão.

A solenidade de abertura do evento teve a palestra "Cultura Viva - Desafio e Perspectiva para o Futuro", ministrada pela conselheira nacional e parecerista técnica de projetos para Pontos de Cultura junto ao Conselho Nacional de Cultura, Alessandra Pajama. Participaram da mesa de abertura o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão; o coordenador do projeto Rede São Luís de Pontos de Cultura, André Lobão; e o representante do Grêmio Recreativo Escola de Samba Flor do Samba, Denis Cutrim Lima.

O coordenador do projeto Rede São Luís de Pontos de Cultura, André Lobão, frisou que o Programa Cultura Viva fortalece a diversidade por meio de políticas de cultura que atendem diferentes grupos sociais como quilombolas, indígenas, manifestações culturais de matrizes africanas, LGBT, entre outros. "Nossa perspectiva é fortalecer a Rede São Luís de Pontos de Cultura, que é um ambiente que cria oportunidades de negócios. Me sinto grato de ter participado desse processo de grandes aprendizados. Espero que o fórum seja um espaço de encontros e reencontros".

Aglutinar os fazedores de cultura é uma alternativa para fortalecer a Rede São Luís de Pontos de Cultura, foi o que apontou a conselheira nacional e parecerista técnica, Alessandra Pajama. Ela defende que a sustentabilidade da rede deve estar baseada na economia criativa. A criação de políticas públicas de cultura para movimentar e fortalecer a rede, além do avanço no debate e no fazer cultural, foram também citados pela conselheira durante a palestra.

Denis Cutrim Lima, representante do Grêmio Recreativo Escola de Samba Flor do Samba, pontuou que o projeto capacitou cada ponto de cultura para aprender os caminhos para empreender políticas públicas de cultura. "Quero agradecer ao Ministério da Cultura e à Prefeitura de São Luís por proporcionar esse momento para nós", compartilhou.

Estiveram presentes no evento o vereador Antonio Garcêz; a diretora do Departamento de Assuntos Culturais da Universidade Federal do Maranhão, Fernanda Santos Pinheiro, representando a reitora Nair Portela; e o superintendente de Patrimônio Imaterial da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, Neto Azile, representando o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Diego Galdino.

REDE

O Ponto de Cultura "Ler pra Valer", localizado na União dos Moradores da Vila dos Frades, no bairro Coroadinho, atende 450 crianças por mês na comunidade e integra a Rede de Bibliotecas Comunitárias de São Luís "Ilha Literária". Em seu estande no fórum, a coordenadora Claudileude Silva afirma que esse é um momento para dar visibilidade às atividades realizadas no ponto de cultura.

"O projeto foi importante porque nos ajudou a conhecer os trabalhos de outros pontos e pensar em projetos articulados com mais de uma entidade. Espero que a rede possa disseminar a cultura local e se articular no âmbito estadual e nacional. Juntos somos mais fortes e precisamos defender a cultura como patrimônio coletivo", afirma a coordenadora.

Já o representante do Ponto de Cultura Flor do Samba, Fonseca Maranhão, declara que o projeto é uma importante iniciativa dos poderes municipal, estadual e federal para fortalecer os pontos de cultura. Ele diz que o projeto contribuiu com muitos grupos culturais que não sabiam gerenciar as suas atividades. O encerramento do primeiro dia do I Fórum Rede São Luís de Pontos de Cultura contou com apresentação do bloco tradicional Os Foliões.

PROGRAMAÇÃO

Nesta quarta-feira (6), a programação teve as rodas de conversa "Cidadania, Diversidade e Direitos Culturais", com a participação do tambor de crioula 30 de Outubro e bumba meu boi de Maracanã; e "Cultura de Paz: Território e Pontos de Resistência Cultural", com a participação dos Pontos de Cultura Instituto Mariana, Bumba meu boi de Leonardo e Cia Tramando Teatro. No palco, se apresentou o tambor de crioula mirim Arte Nossa e o cacuriá Assacana, além da escola de samba Flor do Samba.

Na quinta-feira (7), às 9h, o palestrante e produtor cultural André Lobão ministrará palestra com o tema "Economia da Experiência". Dando continuidade à programação, às 10h30, o público poderá conhecer mais sobre a experiência dos grupos no projeto, com a roda de conversa "Economia Criativa: Experiência Ponto a Ponto". A mesa será composta por representantes do Bumba meu boi da Floresta e tambor de crioula Arte Nossa, grupos selecionados como Pontos de Cultura estaduais, e por representantes das entidades Lizzi Fashion Artistique Collectif e Laborarte.

Na parte da tarde, de 14h às 16h, serão expostos os resultados do projeto Rede São Luís de Pontos de Cultura, além de novas propostas para a manutenção da rede. A partir das 17h30, a animação fica por conta do espetáculo "Axé", do Grupo GDAM, seguido por desfile do grupo Lizzi Fashion, e encerramento com a tradição e animação do Bumba meu boi União da Baixada.

PONTOS DE CULTURA

Desde 2015, por meio de edital de seleção, 40 iniciativas culturais dos mais diversos segmentos artísticos da capital foram selecionadas para receber premiação no valor de R$ 43.350,00 e participar de um programa de capacitação, formando a Rede São Luís de Pontos de Cultura. O projeto é uma das ações efetivas da Política Nacional de Cultura Viva, programa do Governo Federal executado pela Prefeitura de São Luís por convênio.

Ao todo, nove macrorregiões estão incluídas na Rede São Luís de Pontos de Cultura, englobando 20 bairros da capital e 40 grupos culturais. A rede maranhense é uma das mais plurais do país, apresentando 14 diferentes segmentos culturais: teatro, dança, tambor de crioula, bumba meu boi, centro cultural, capoeira, cultura e educação, escola de samba, bloco tradicional, mídia livre, moda, Festa do Divino, música e ocupação cultural.

Desde o início de julho foram realizadas sete oficinas para 80 pessoas de grupos culturais, que serão multiplicadoras em suas regiões de atuação. Os temas trabalhados focaram no desenvolvimento da economia da cultura local e da articulação em rede, alinhados com as políticas do Sistema Nacional de Cultura e do Plano Municipal de Cultura de São Luís. Foram abordados temas como Política Nacional de Cultura Viva, Cultura de Rede; Redes Associativas; Elaboração de Projetos e Captação de Recursos; Comunicação Comunitária; Comunicação Visual e Portfólios Culturais; e Cultura Empreendedora.

Com a finalização do projeto, a Rede continua existindo, com o objetivo de fortalecer a cultura local e democratizar o acesso à cultura. Em 2018, um novo edital será aberto para contemplar mais entidades que irão compor a rede ano que vem. Os selecionados passarão pelas capacitações e receberão a premiação do novo edital.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem