agencia

Notícias

Sexta-feira, 20/07/2018 - 15h13

Prefeitura promove Circuito de Segurança do Paciente no Socorrão II e reforça ações nesta área

O circuito foi realizado com o objetivo de fortalecer as ações que vêm sendo implementadas na unidade de saúde para maior segurança do paciente

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O circuito foi mais uma iniciativa para fortalecer a cultura de segurança na unidade de saúde

A Prefeitura de São Luís promoveu no Hospital Municipal Dr. Clementino Moura (Socorrão II) o Circuito de Segurança do Paciente. Desenvolvida em um dos corredores da unidade de saúde, a atividade foi planejada para apresentar a funcionários, pacientes e familiares os resultados e as ações que vêm sendo implementadas no hospital para evitar incidentes e, assim, garantir a segurança dos pacientes. O circuito foi mais uma iniciativa para fortalecer a cultura de segurança na unidade de saúde.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, ressalta que o circuito faz parte de um trabalho que vem sendo desenvolvido para aprimorar o atendimento. "Lidamos com a vida, que é o nosso bem mais precioso. Precisamos encarar com muita responsabilidade esse ofício e, por isso, a gestão do prefeito Edivaldo tem priorizado a área da saúde, com investimentos que tem nos feito alcançar muitos resultados positivos. Quem ganha é a população", afirma o titular da Semus.

O circuito foi inspirado em um artigo publicado pelo Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP) intitulado "Segurança do paciente X segurança na aviação". Segundo o artigo, o risco de um acidente fatal com vôo de passageiros é muito menor do que os riscos que pacientes correm durante o atendimento em uma unidade de saúde. Considerando a pesquisa, o circuito foi organizado em escalas, onde em cada parada era apresentado um protocolo de segurança desenvolvido no Socorrão II.

Na primeira parada, informações sobre o protocolo de cirurgia segura. Nas escalas seguintes, explicações de protocolos sobre Identificação do Paciente, Prevenção de Queda, Prevenção de Lesão por Pressão, Prevenção de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) e Gestão de Risco. Em cada parada os funcionários, pacientes e familiares, compreendiam melhor a importância de cada processo descritos nos protocolos para o atendimento seguro.

A coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente no Socorrão II, Érica Brandão, explicou como a atividade fortalece a cultura da segurança na unidade de saúde. "Já estamos há algum tempo com protocolos implementados, mas muitos que circulam pela unidade de saúde não tinham esse conhecimento. Essa foi uma oportunidade que encontramos para divulgar essas informações e envolver ainda mais os profissionais nesse trabalho que pode apresentar melhores resultados com o comprometimento de todos", ressaltou.

A diretora geral do Socorrão II, Dorinei Câmara, destacou a importância da ação. "É uma atividade que refletirá positivamente no nosso atendimento, que vem sendo prestado de forma cada vez mais segura. Nosso foco é o paciente, então estamos somando esforços e buscando envolver o máximo de profissionais possível, pois todos precisam estar orientados acerca desse atendimento", disse.

A atividade, promovida pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), contou com a parceria da Zilfarma, do Laboratório Daudt e da MA Silva Empreendimentos Hospitalares.

PROJETO

Outras medidas na área da Segurança do Paciente vêm sendo implementadas na unidade de saúde por meio do Projeto "Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil", do Ministério da Saúde. Através do projeto, o Hospital Municipal de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura conta com assessoria técnica do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo.

O projeto foi criado pelo Ministério da Saúde para orientar hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) acerca das melhores práticas para o cuidado da segurança do paciente. Como resultado das medidas que já vinham sendo implementadas pela unidade de saúde nessa área, o Socorrão II foi uma das 120 unidades de saúde brasileiras que fazem parte do projeto. O projeto começou a ser colocado em prática no Socorrão II em dezembro do ano passado.

A meta do projeto é reduzir em até 50% o índice de infecções na UTI no período de três anos. Para isso, todos os hospitais deverão seguir os mesmos protocolos, pacote de intervenções capaz de medir a melhoria contínua dos processos de trabalho da equipe, além de criar um sistema de cuidado à prova de erros, com inspeção sucessiva, auto-inspeção e inspeção na fonte.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem