agencia

Notícias

Quarta-feira, 08/08/2018 - 18h40

Estudantes da rede municipal de São Luís participam de ação em prol da cultura de paz

Prefeitura de São Luís, em parceria com a Fundação Vale e a Associação Comunitária do Itaqui-Bacanga leva a alunos do Fumacê programa de combate à violência e às drogas

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Agente da Secreatria de Segurança com Cidadania, da Prefeitura de São Luís, durante palestra para pais e alunosEstudantes da escola municipalizada Unidade Integrada (U.I.) Severiano de Sousa, no bairro Fumacê, na área Itaqui-Bacanga, têm agora um novo aliado no combate e prevenção às drogas e à violência. A Prefeitura de São Luís, por meio das secretarias municipais de Educação (Semed) e Segurança com Cidadania (Semusc), firmou parceria com a Fundação Vale e a Associação Comunitária do Itaqui-Bacanga (Acib), para juntas desenvolverem o programa Unidos, que tem a intenção de sensibilizar, orientar e fortalecer não só alunos, mas pais e professores no combate e prevenção às drogas e à violência.

O programa Unidos foi apresentado na tarde desta terça-feira (7) para um grupo de mais de 70 pais de alunos do Ensino Fundamental da Unidade Severiano de Sousa. Para o secretário Municipal de Educação, Moacir Feitosa, envolver os pais e responsáveis dos estudantes é primordial para o sucesso de qualquer ação que diz respeito à segurança e futuro de crianças e adolescentes.

"Estamos somando forças para garantir que nossos jovens possam trilhar caminhos melhores, longe das drogas e da violência, fomentando a cultura de paz. Serão realizadas palestras, gincanas, oficinas, caminhadas e outras ações para sensibilizar toda a comunidade escolar dos riscos e danos advindos da violência", esclarece Moacir Feitosa.

A analista de relações com a comunidade da Fundação Vale, Conceição Silva, explica que o programa Unidos será realizado em 10 etapas. "Onde as temáticas serão trabalhadas por meio de oficinas, filmes, palestras, gincanas e outras ações de sensibilização dos pais, professores e estudantes", frisa.

A secretária executiva da Acib, Suelen Chaves, conta que a instituição ficou responsável pela realização das oficinas, que serão definidas após escuta de pais e alunos. "Esta é uma área muito vulnerável, e teremos uma missão muito importante, que é a de realizar atividades, sejam nas áreas de teatro, música, dança, grafite, esporte, e outras, para envolver pais e estudantes, contribuindo para o seu empoderamento e uma vida longe das drogas e da violência", diz Suelen. 

Os professores também serão parte essencial na concretização do programa Unidos, segundo informa a assessora técnica pedagógica da Semed, Maria Alice Bogéa Prazeres. Cerca de 400 estudantes dos turnos matutino e vespertino da Severiano de Sousa estarão diretamente envolvidos, sendo capacitados para o combate e prevenção às drogas e à violência durante os seis meses de realização do programa por meio de encontros semanais (um por turma) e, de forma transversal, na assimilação de conteúdos e realização de atividades que serão desenvolvidos pelos professores em sala de aula.

As temáticas que serão trabalhadas nos seis meses de projeto são: Bullying, Drogas, Indisciplina e Depredação ao Patrimônio Público. Os professores também participarão, com os estudantes, dos encontros semanais e serão orientados a como incluir, da melhor forma, as temáticas do programa no conteúdo curricular, seja na disciplina de Português, Matemática ou outra.

ETAPAS

A primeira etapa do projeto, depois de já devidamente apresentado para a comunidade escolar, será a aplicação de um questionário para identificar os tipos de violência predominantes na escola e entorno. Com base nesse diagnóstico, os dados serão apresentados para pais, professores e alunos, para que se tenha maiores subsídios para as discussões que surgirão no desenrolar do programa, e também para que se defina os tipos de cursos que serão ofertados para pais e alunos durante as oficinas, além de outras ações de impacto na comunidade.

Outras etapas do projeto são a escolha do Aluno Solidário (um por sala de aula, num total de 12), dos Jovens Fraternos, e de um grupo permanente de discussão contra a violência na Unidade Severiano de Sousa. O Aluno Solidário, com o apoio do gestor, coordenador pedagógico e professores, irá replicar o conteúdo aprendido nos seis meses do projeto para outros estudantes, além de pensar e realizar outras ações contra a violência. Os Jovens Fraternos serão escolhidos para desenvolverem ações solidárias em orfanatos, asilos, hospitais e outras obras sociais. Para o encerramento, está prevista uma caminhada por toda a comunidade do Fumacê.

O pedagogo Bergson Rios, guarda municipal (Semusc) e coordenador do programa Unidos, apresentou as etapas aos pais dos estudantes, destacando a importância do envolvimento de toda a comunidade escolar para o sucesso do mesmo. "O aluno precisa ser orientado e ensinado para se sentir valorizado e aprender também a valorizar o seu próximo, a respeitar seus colegas. Com o programa Unidos, queremos minimizar a recorrência de qualquer tipo de violência", disse Bergson.

O gestor da escola Severiano de Sousa,Eduardo Campos, diz que o projeto vem para difundir a cultura de paz, combatendo o Bullying, o preconceito, o racismo, as drogas e a marginalidade de uma forma geral.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem