agencia

Notícias

Quarta-feira, 23/01/2019 - 18h58

Prefeitura discute com Comitê de Políticas de Inclusão acessibilidade no Carnaval de Passarela 2019

Como parte das ações neste sentido haverá sensibilização sobre acessibilidade para as equipes que irão trabalhar durante o evento e uma campanha de divulgação nas redes sociais para informar ao público de que estes serviços estarão disponíveis

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura discute com Comitê de Políticas de Inclusão acessibilidade no Carnaval de Passarela 2019A Prefeitura de São Luís está nos preparativos para a realização do Carnaval de Passarela 2019. Nesta quarta-feira (23), por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), que realiza o evento, o executivo municipal participou de uma reunião sobre acessibilidade nos desfiles do Anel Viário. O encontro foi solicitado pelo Comitê Gestor Estadual de Políticas de Inclusão das Pessoas com Deficiência e ocorreu no auditório da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Calhau. A reunião foi de alinhamento para ampliação das ações da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior que tem garantido a participação dos segmentos de pessoas com deficiência em diversos evento realizados pela Prefeitura.

"A gestão do prefeito Edivaldo, em seus eventos ao longo dos anos, tem trabalhado para garantir acessibilidade a este segmento. Pretendemos aumentar o espaço reservado para deficientes e faremos a entrega de ingressos para o Carnaval de Passarela de forma antecipada para garantir a quem for a certeza de que terá onde ficar e de pulseiras em braile para deficientes visuais", informa o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão.

O Comitê Gestor Estadual de Políticas de Inclusão das Pessoas com Deficiência é composto por 15 secretarias e tem a função de articular e promover ações relacionadas à inclusão de pessoas com deficiência na sociedade, assim como realizar o monitoramento e avaliação dessas ações.

A secretária adjunta dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Beatriz de Carvalho e Silva, afirma que, enquanto gestora no viés dos direitos humanos, compreende a pessoa com deficiência como um ser em sua totalidade que precisa ter acesso a cultura e lazer, por isso a relevância da reunião com representantes da Secult, que organiza o evento.

"O Carnaval é forte em nossa cultura e a pessoa com deficiência precisa ser contemplada nesses espaços, com interpretação em libras para deficiência auditiva e espaço adequado para deficientes físicos, com estacionamento próximo. Vamos ver também a possibilidade de sinalização para pessoas cegas. Recebemos com satisfação o aceno da Prefeitura de que tudo isso é possível e nos disponibilizamos para potencializar a acessibilidade durante o Carnaval de Passarela 2019", explica.

AÇÕES

Haverá sensibilização sobre acessibilidade para as equipes que irão trabalhar durante o evento e uma campanha de divulgação nas redes sociais para informar ao público de que estes serviços estarão disponíveis. Também será promovida uma reunião com representantes dos segmentos de pessoa com deficiência na segunda quinzena de fevereiro para alinhamento das ações.

Será realizada ainda uma parceria com o Projeto Travessia, realizado pela Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (Mob), que oferece transporte especial gratuito para pessoas com deficiência, usuária de cadeira de rodas. O serviço vai levar 15 cadeirantes por dia durante os cinco dias do Carnaval. Cada van do Travessia comporta quatro cadeirantes, quatro acompanhantes e dois deficientes visuais.

Além do secretário Marlon Botão, participaram da reunião o responsável pela coordenação de Eventos Comunitários da Secult, José de Ribamar Moraes, e o arquiteto Agnaldo Rêgo. Também estiveram presentes representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (Mob), que integram o Comitê, e do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem