agencia

Notícias

Quinta-feira, 31/01/2019 - 17h29

Biblioteca da Prefeitura de São Luís realiza colônia de férias no Bairro de Fátima

Com atividades variadas, crianças puderam se divertir em três dias de evento que teve como parceiro o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Bairro de Fátima

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Crianças durante atividade da colônia de férias da Biblioteca Municipal Três dias de contação de histórias, oficinas e brincadeiras. Assim foram as manhãs dos estudantes que participaram da colônia de férias promovida pela Biblioteca Municipal José Sarney, localizada no Bairro de Fátima.  A Biblioteca é um equipamento da Prefeitura de São Luís, administrado pela Secretaria de Cultura (Secult). O evento teve como parceiro o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Bairro de Fátima. No último dia do evento quinta-feira (31) os estudantes participaram ainda de uma oficina de slime.

"A Colônia de Férias tem como objetivo incentivar a leitura e aproximar crianças do ambiente da Biblioteca, por meio de atividades de leitura e criatividade. Foi bastante proveitoso, a gente cumpriu nosso objetivo, fortalecendo nosso trabalho enquanto formadores de leitura, com atividades lúdicas", explica a diretora da Biblioteca Municipal, Rita Oliveira.

A orientadora social do Cras Bairro de Fátima/Filipinho, Flávia Jeonara, afirma que a Colônia faz parte das atividades realizadas em parceria com a Biblioteca Municipal "para que as crianças não fiquem ociosas em seu período de férias escolares".

O último dia da Colônia de Férias contou com uma oficina de slime, facilitada por Hellen Pinheiro e Yasmin Ferreira, ambas de 10 anos e estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental. A técnica utiliza ingredientes como cola, sabão líquido, corante e glitter, para criar um tipo de massinha flexível. 

Há dois anos, as duas amigas aprenderam a fazer slime pela internet e esta é a primeira vez que ministram uma oficina. "Tia Rita [Oliveira, diretora da Biblioteca Municipal] convidou a gente. É bem legal fazer a oficina porque ensino pessoas que não sabem", explica Hellen Pinheiro. Já Yasmin Ferreira declara que é importante "mostrar aos pais que isso pode ser uma forma legal para os filhos brincarem".

O pequeno João Marcelo, de 6 anos, participou da oficina e começou dizendo que sempre vem à Biblioteca. "Já sabia fazer slime porque sou primo da Hellen. Então vim para aprender mais. Gosto muito porque slime gruda", compartilha, com simplicidade.

Ainda na quinta-feira (31) houve contação de histórias, com destaque para a participação do escritor maranhense Nico Bezerra, autor dos livros infantis 'Uh Igarapé Encantado' e 'Aderito, o passarinho lusófono'. "Foi um privilégio participar deste evento. Quanto mais contato as crianças tiverem com o mundo da literatura, seja com livros ou autores, mais elas vão aprender a valorizar o mundo do livro, das artes", pontua.

Na quarta-feira (30), aconteceu oficinas de desenho, pintura e reciclagem, além de contação de histórias e campeonato de travinha. Já na terça-feira (29), houve contação de histórias e uma oficina de reaproveitamento de resíduos sólidos com a escritora e artista plástica, Gorete Pereira. "Em um ambiente como a Biblioteca, é relevante que as crianças tenham também um momento de conscientização para preservar o meio ambiente. Na oficina, elas aprenderam brincando que os resíduos podem ser reaproveitados", destaca.


Bianca Raquel, 10 anos, é estudante do 5º ano da Unidade de Educação Básica (UEB) São Sebastião, no Bairro de Fátima, e confeccionou um porquinho na oficina. "Achei bonito o modelo do porquinho e decidi fazer. Costumo vir à Biblioteca nas programações da minha escola, levo livros para casa e faço trabalhos com minhas amigas", explica.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem