agencia

Notícias

Quarta-feira, 20/02/2019 - 16h05

Prefeitura de São Luís recebe visita institucional de engenheiros do consórcio Alumar

Durante reunião realizada na Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação, os técnicos apresentaram as ações da empresa no quesito segurança das Áreas de Resíduos de Bauxita

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura de São Luís recebe visita institucional de engenheiros do consórcio AlumarA Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) recebeu, na manhã desta quinta-feira (21), visita institucional de engenheiros e superintendentes do consórcio Alumar. Na ocasião, os profissionais apresentaram as ações de segurança das Áreas de Resíduos de Bauxita (ARBs) envolvendo comando e controle (fiscalizações) destas áreas que nascem de minuciosos projetos de engenharia construídas com alto controle de qualidade, para garantir a sua operacionalização, sem oferecer riscos iminentes.

O objetivo da visita foi detalhar para o poder público municipal os procedimentos de implementação de segurança e funcionamento dos chamados lagos vermelhos, locais onde são despejados rejeitos de bauxita, substância prejudicial aos seres humanos, à fauna e a flora.

O secretário municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) explicou que a tragédia ocorrida na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, onde uma barragem de rejeitos da Vale acabou rompendo, ocasionando mortes e sérios danos ambientais, trouxe novamente à tona o debate acerca do funcionamento e segurança deste tipo de equipamento utilizado por grandes empresas e multinacionais.

"A Semurh tem o dever de fiscalizar o funcionamento deste tipo de equipamento. Além disso, manteremos diálogo permanente com entidades e órgãos responsáveis pela segurança e fiscalização da empresa", disse o secretário.

As ARBs são formadas pelos sistemas de contenção, impermeabilização e de drenagem de fundo. Este método construtivo não utiliza o próprio resíduo como material de construção e sim o solo local, conforme investigação geotécnica realizada para a implantação de cada área. Tais diques possuem altura máxima de 25 metros, possuindo a parte interna (talude e fundo) impermeabilizados com sistema composto por três barreiras de proteção.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem