agencia

Notícias

Domingo, 17/03/2019 - 08h20

Gestão Edivaldo investe em novas ferramentas pedagógicas e avança na área da educação inclusiva

Entre os mais recentes investimentos da Prefeitura na área da Educação Especial está a aquisição de um aplicativo que permite que pessoas com qualquer tipo de deficiência na fala tenham autonomia na comunicação; iniciativa integra a política de modernização e melhoria da qualidade do ensino

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Investimentos em ferramentas pedagógicas faz gestão Edivaldo avançar na área da educação inclusivaDesde o início da gestão, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior tem trabalhado para promover a acessibilidade e a inclusão social na rede municipal de ensino. Entre as ações voltadas para o desenvolvimento dos estudantes público-alvo de uma área específica da rede, que é a Educação Especial, a Prefeitura disponibiliza o Atendimento Educacional Especializado (AEE). O trabalho na área vem sendo aperfeiçoado ao longo dos anos com investimentos em projetos e ferramentas que favoreçam o desenvolvimento dos estudantes com deficiência, com o aprimoramento das suas capacidades e habilidades. Na última semana, a Prefeitura deu mais um passo na área, com a aquisição de aplicativo que favorece a comunicação entre professores e alunos com deficiência.

Entre os mais recentes investimentos da gestão na área da Educação Especial está a aquisição de um aplicativo que permite que pessoas com qualquer tipo de deficiência na fala tenham autonomia na comunicação. A ferramenta será utilizada inicialmente em 50 escolas da rede municipal de Educação. Para utilizar o aplicativo, professores e técnicos da rede municipal de ensino, de posse de 50 tabletes também adquiridos pela Prefeitura de São Luís, participaram nesta semana de uma capacitação.

Atualmente, existem mais de 3 mil estudantes - com autismo, altas habilidades, deficiências múltiplas, surdez, cegueira, mobilidade reduzida, deficiência intelectual, entre outras - beneficiados com o trabalho desenvolvido pelo município na área da Educação Especial. Entre as ações da gestão do prefeito Edivaldo nessa área foram implementadas seis salas bilíngues (Libras e Português); um Núcleo de Produção Braille; além de mais de 130 salas de recursos em cerca de 65 escolas da rede municipal de ensino.

O secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, reforça o conjunto de ações que vêm sendo implementadas pela gestão do prefeito Edivaldo para oferecer um ensino de qualidade às crianças com deficiência. "Desde o início da gestão, o prefeito Edivaldo tem investido em projetos, ações e infraestrutura, a fim de ampliar a acessibilidade nas escolas e promover a inclusão de crianças com deficiência, oferecendo a elas um ensino qualificado, a partir do qual elas tenham oportunidade de desenvolver suas potencialidades", diz o titular da Semed.

As ações do poder público municipal incluem, ainda, o desenvolvimento de programas como o Oportunizar, que contribui com a inserção de jovens com deficiência no mercado de trabalho; a disponibilização de intérpretes de Libras e cuidadores, que atuam nas escolas municipais; além de ações de formação continuada para profissionais do ensino comum e da educação especial; acompanhamento técnico pedagógico; trabalho de orientação e acompanhamento familiar; transporte acessível; e desenvolvimento de projetos em parceria com instituições afins.

A superintendente da Área de Educação Especial da Semed, Dalvina Ayres, enfatiza que o trabalho visa à inclusão social dos estudantes. "A gestão do prefeito Edivaldo buscar oferecer a todos, indistintamente, um ensino público de qualidade. Por isso, os investimentos pela inclusão social e educacional dos alunos são observados tão claramente na rede. Ainda precisamos avançar, mas muito já foi realizado em prol das crianças com deficiência", disse a superintendente.

As iniciativas beneficiam tanto os estudantes quanto os pais, que percebem o seu desenvolvimento. Gusttavo Raphael tem autismo e é um dos estudantes atendidos pela rede municipal na sala de recurso. O espaço funciona no contraturno escolar e permite um atendimento individual e especializado e, a partir das necessidades específicas de cada um, favorece o aprendizado.

Vânia Cristina Guimarães, mãe de Gusttavo Raphael, aluno da sala de recurso da U.E.B. Augusto Mochel, comemora o esforço do poder público municipal. "Vejo que a sala de recurso, bem como as demais iniciativas, são muito importantes e que a rede faz o possível para atender às necessidades das crianças. O meu filho, por exemplo, começou a falar quando começou a frequentar a escola", relata Vânia.

APLICATIVO

A nova ferramenta que passa a ser usa da rede municipal, na educação especial, é um grande avanço no processo de inclusão. Os professores que participaram da capacitação, que antecede a utilização da ferramenta na sala de aula, serão multiplicadores do conhecimento, a fim de que outros professores estejam aptos a manusear a ferramenta.

Através do aplicativo, os usuários podem relatar emoções, indicar exatamente o que querem comer; selecionar desenhos, filmes, jogos, músicas que desejam assistir e escutar; ajuda a aprender a ler e a estudar conceitos complexos; interagir rapidamente em perguntas cujas respostas sejam sim ou não; entre outras coisas. As atividades são ativadas através do comando de toque na tela, selecionando figuras, textos ou vídeos no tabletes com o aplicativo instalado e as respostas são expressas através de voz sintética.

"Ao longo da capacitação, os professores perceberam as potencialidades do aplicativo, além de aprender formas de utilizá-lo de acordo com a sua realidade, considerando as particularidades de cada criança. Avaliando o uso do aplicativo, muitos resultados positivos têm sido observados. Desejamos voltar a São Luís e poder visualizar verdadeiras transformações na vida dessas crianças", explica a psicopedagoga da empresa responsável pelo aplicativo, Lívia Ferreira, que ministrou o treinamento.

O conteúdo do treinamento incluiu a criação de um perfil de usuário e a elaboração de atividades. Também entre os assuntos abordados estão o desenvolvimento de habilidades cognitivas e métodos de alfabetização, a avaliação escolar, a adaptação do conteúdo escolar e a comunicação suplementar alternativa no contexto da escola. A capacitação aconteceu semana passada, na Faculdade Laboro, no São Francisco.

O professor Luís Neto, da escola municipal Padre Antônio Vieira, no Anil, está participando do treinamento e conta que a expectativa é grande para o uso do aplicativo em sala de aula. "É uma inovação, considerando que o aplicativo está há pouco tempo no mercado e que poucas cidades do país trabalham com a ferramenta. É bom perceber que o município de São Luís sai à frente com o uso dessa tecnologia que, certamente, trará muitos benefícios aos nossos alunos", ressalta o professor.

Os pais também estão ansiosos para que os filhos tenham acesso ao aplicativo. Edith França, mãe da estudante Elis, 10 anos, conta que está na expectativa. "Tenho boas recomendações do aplicativo. Hoje a minha filha, que tem autismo, se comunica através de gestos e sinais e acredito que esse aplicativo, pelo o que eu ouvi falar, vai contribuir com o desenvolvimento dela e ajudar nessa comunicação. Acho que esse é um investimento muito importante e espero que beneficie muitas crianças além da minha filha", disse a mãe de Elis, que estuda na U.E.B. Ronald Carvalho.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem