agencia

Notícias

Segunda-feira, 22/07/2019 - 13h26

Gestão do prefeito Edivaldo promove incentivo à leitura em colônia de férias no Bairro de Fátima

As atividades do programa Férias na Biblioteca fazem parte das ações da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior na área da Cultura e beneficiaram crianças de 6 a 11 anos do Bairro de Fátima

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Gestão do prefeito Edivaldo promove incentivo à leitura em colônia de férias no Bairro de Fátima

Como parte das atividades da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior na área da Cultura, foi realizada na última semana, na Biblioteca Municipal José Sarney, ações do programa Férias na Biblioteca. O evento, coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult), teve como público alvo crianças de 6 a 11 anos do Bairro de  Fátima. O programa visa aproximar o público infantil do ambiente da biblioteca durante o período das férias escolares, incentivando o gosto pela leitura por meio de atividades lúdicas, recreativas e culturais. A programação do Férias na Biblioteca, da Prefeitura de São Luís, foi realizada durante três dias e incluiu contação de histórias, dinâmicas e oficina de fantoche.

A diretora da Biblioteca Municipal, Rita Oliveira, fez uma avaliação positiva do evento. “A participação das crianças foi muito boa, vimos o empenho dos pais e parceiros para que tudo desse certo. A gente percebe que a comunidade reconhece o trabalho da equipe e isso nos motiva a fazer outras ações. Nosso objetivo é contribuir com a formação das crianças, para que elas venham à Biblioteca e tenham contato com o livro e a leitura”, destacou a diretora.

A poetisa e cordelista Gorete Pereira foi a facilitadora da oficina de confecção de fantoches. “Aqui, as crianças aprendem brincando sobre a importância da leitura e a reaproveitar resíduos sólidos, como garrafa PET. É uma forma de levar conscientização ecológica para essa garotada, que com certeza vai influenciar os pais a fazerem o mesmo”, explica.

Ao final da oficina, as crianças criaram uma história e a encenaram com os fantoches feitos por elas próprias. A estudante Maria Eduarda Lima, de 10 anos, participou da oficina e atuou como a Bruxa Zoraica. “A bruxa era analfabeta e não gostava de crianças, porque elas sabiam ler. Então, uma fada levou a bruxa a um mundo encantado, que era a biblioteca. Aí a bruxa aprendeu a ler e começou também a gostar das crianças”, conta.

Com uma atuação engraçada, Maria Eduarda arrancou muitas risadas da plateia. “Gostei de participar. Achei muito criativo, muito cultural. Fiquei alegre com a apresentação que fiz e percebi que todos gostaram”, compartilhou.

A programação também contou com a participação de um jovem escritor, Renato Pereira, de 11 anos, que é filho da facilitadora Gorete Pereira. O garoto fez um bate-papo sobre os dois livros de sua autoria publicados em formato de cordel, "Joãozinho, o menino que aprendeu a amar os animais" e "Beto Analfabeto", além de tocar flauta. “É a primeira vez que faço um bate-papo sobre meus livros, estou bem orgulhoso. Comecei a fazer cordel com 10 anos e, por causa dos meus dois livros publicados, vou receber o Troféu Gonzagão na categoria Literatura de Cordel Infantil, no dia 23 de novembro, em Fortaleza. Sou a primeira criança do Maranhão a receber essa premiação”, diz Renato, com um sorriso de satisfação.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem