agencia

Notícias

Quarta-feira, 16/10/2019 - 15h19

Prefeitura de São Luís segue com processo de demolição do "Balança mas não cai"

Estão sendo demolidas as lajes superiores do edifício localizado no São Francisco; ação obedece a todos os padrões de segurança

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura de São Luís segue com processo de demolição do Balança Mas Não CaiO serviço de demolição do edifício Santa Luzia, conhecido como "Balança mas não cai", localizado na Rua 3, bairro São Francisco, já atingiu as duas lajes superiores, isto é, os andares sexto e sétimo. A ação está está sendo realizada pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh). Iniciada em setembro deste ano, os primeiros passos foram garantir segurança à estrutura, com o escoramento das lajes e a instalação de telas de proteção para evitar acidentes, pois o edifício situa-se em uma rua movimentada e é cercado por residências e estabelecimentos comerciais.

Nesta semana, os serviços estão concentrados na remoção dos entulhos e na derrubada da laje do quinto andar. A demolição do prédio está sendo feita por etapas, utilizando-se marteletes e marretas, para que não haja risco de acidentes com os prédios vizinhos e casas adjacentes.

PLANEJAMENTO 

A demolição do prédio Santa Luzia foi previamente planejada pela Prefeitura de São Luís, que realizou estudos técnicos para garantir a melhor forma de fazer o serviço sem prejuízos às edificações e aos moradores vizinhos. A primeira providência foi desocupar a construção, que havia sido ocupada irregularmente.

Segundo explicou o titular da Semurh, Mádison Leonardo Andrade, logo no início dos serviços, a demolição manual do edifício foi apontada como a adequada após um minucioso estudo técnico preliminar. "Qualquer outra forma, como a implosão, por exemplo, não caberia, dado ao fato de o prédio estar localizado entre outros edifícios e muito próximo de outras residências do bairro", observou o titular da Semurh.

Todas foram previamente referenciadas pelo Centro de Referência da Assistência Social (Cras), do São Francisco, e cadastradas no Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) e no Cadastro Único, para inserção nos programas governamentais de transferência de renda, aluguel social ou contempladas com unidade do programa Minha Casa, Minha Vida. A ação de remanejamento viabilizou ainda toda a logística para o transporte dos móveis e utensílios dos moradores do edifício.

“Estamos vendo a cada dia o prédio sendo demolido. Esperamos ter um pouco mais de sossego depois que o serviço terminar, pois este prédio era ocupado por usuários de drogas, que passavam à noite aqui e isso nos dava muita insegurança”, disse Nelciane Rodrigues, comerciante da Rua 3, que mora no bairro São Francisco há 45 anos.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem