agencia

Notícias

Sexta-feira, 18/10/2019 - 16h09

Estudantes da Casa Familiar Rural, escola da Prefeitura de São Luís, apresentam produção agrícola em feirinha que estimula o empreendedorismo

Frutas, hortaliças e verduras produzidas pelos alunos de forma ogânica, foram colocados à venda na sede da Semed; escola integra a política educacional do prefeito Edivaldo Holanda Junior voltada para jovens e adultos

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Estudantes da Casa Familiar Rural apresentam produção agrícola em feirinha que estimula o empreendedorismoCom objetivo de mostrar à comunidade o trabalho desenvolvido na Casa Familiar Rural, escola da rede municipal da Prefeitura de São Luís, alunos e professores da instituição realizaram, nesta sexta-feira (18), uma feirinha na sede na Secretaria Municipal de Educação (Semed), com hortaliças, verduras, legumes, ovos, galinha e peixes. A feira é resultado do projeto Plantando Sementes, realizado por meio da parceria entre a Prefeitura e a empresa Alcoa e envolve 35 estudantes que, além de trabalharem no cultivo dos alimentos, também estão tendo a oportunidade de desenvolver o empreendedorismo e práticas de comercialização dos produtos. Escola integra a política educacional do prefeito Edivaldo Holanda Junior voltada para jovens e adultos.

O secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, destacou a importância da iniciativa. “Os estudantes da Casa Familiar Rural estão colocando na prática o que aprendem nas aulas, desde plantar a empreender”, disse.

“Nós recebemos o convite do secretário Moacir Feitosa para apresentar a produção dos nossos alunos aqui na Semed e foi excelente. Vendemos tudo. Esses eventos estimulam muito nossos alunos e fomentam a temática do empreendedorismo dentro da escola”, explicou a gestora da Casa Familiar Rural, Samara Tanabe Viegas.

A grande variedade e qualidade dos produtos orgânicos atraiu muitas pessoas, entre elas servidores da Semed e moradores do bairro São Francisco que se surpreenderam com a novidade e os excelentes preços. Dona Zizi Cardoso, moradora do bairro, estava voltando da academia e parou na feirinha para conhecer. Saiu com as sacolas cheias. “Eu achei ótimo. Eu vim olhar e comprei várias coisas, principalmente macaxeira que eu gosto muito. Uma beleza uma feira com tudo e pertinho”.

Durante a feirinha, os estudantes estavam realizando o atendimento ao público. O estudante do 8º ano, Jadson Tavares, explicou como foi a preparação. “Nós nos preparamos com antecedência, cerca de dois meses. Fizemos a plantação e o planejamento de como iria funcionar, a quantidade de produtos que a gente ia trazer, os preços de cada produto. A feirinha é uma forma de se colocar no mercado e valorizar a produção orgânica da escola”, afirmou.

O estudante Francisco Cantanhede, também do 8º ano, aproveitou a experiência que já possuía com a feirinha para atrair o público e destacou os benefícios de adquirir produtos orgânicos. “Eu acho muito bacana porque é legal pra gente mas é legal também pra quem vem comprar. Aqui é tudo orgânico, não usamos nenhum adubo químico e a pessoa não precisa se preocupar porque não vai fazer mal à saúde dela”, explicou.

Entre os produtos da feirinha estão alface, cheiro verde, quiabo, mamão, milho, abacate, banana, coco, pepino, macaxeira, abóbora, ovos, galinha caipira e os peixes tambaqui e tilápia. A servidora da Semed, Marta Roseane Aguiar, garantiu a compra do fim de semana. “Os produtos são bem fresquinhos e saudáveis. A gente compra porque sabe que realmente são produtos sem agrotóxicos, produzidos pelos alunos da Casa Familiar Rural e fazemos questão de prestigiar”, opinou. 

Para quem perdeu, a boa notícia é que ainda neste ano a Casa Familiar Rural irá realizar mais três feirinhas com datas a serem definidas.

ESCOLA

A Casa Familiar Rural é uma unidade de ensino que funciona na comunidade Santa Helena, na região do Quebra Pote e integra a rede municipal de educação que, com o equipamento, incentiva o desenvolvimento e a fixação dos estudantes no campo, ao mesmo tempo em que estimula a produção familiar rural.

A escola é vinculada à Superintendência da Área de Educação de Jovens e Adultos da Semed e desenvolve a pedagogia da alternância pela qual os alunos passam uma semana na escola e outras em atividades domiciliares, sob supervisão dos professores que realizam visitas técnicas nas casas dos alunos.

Além do currículo comum, têm aulas também de zootecnia, agricultura, horticultura e piscicultura. Os alunos têm faixa etária acima de 14 anos e possuem aulas teóricas e práticas em uma área de muito verde e livre acesso à natureza.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem