agencia

Notícias

Sábado, 09/11/2019 - 11h37

Show, recreação infantil e Feirinha São Luís são destaques do programa Reviva Centro da Prefeitura de São Luís

A programação é gratuita e segue neste sábado (9) e domingo (10) no Complexo Deodoro e na Praça Benedito Leite; ação é uma iniciativa do prefeito Edivaldo

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Show, recreação infantil e Feirinha São Luís são destaques de programação cultural do programa Reviva CentroA Feirinha São Luís agita o público jovem na Praça Benedito Leite, das 8h às 15h, no domingo (10). Além disso, tem a recreação infantil ‘Peppa Pig e sua Turma’ no Complexo Deodoro, às 17h, também no domingo. O músico Chiquinho França faz show neste sábado (9), às 17h30, no Complexo Deodoro. Na sexta (8), teve chorinho na Praça da Mãe d'Água. Os evento integram o Arte na Praça que com a Feirinha São Luís fazem parte do programa Reviva Centro, iniciativas da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, coordenadas pelas secretarias municipais de Cultura (Secult) e de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), respectivamente.

“A música une pessoas, que dançam, conversam, bebem, comem. A música é democrática, cada pessoa tem seus gêneros preferidos. E nada como fazer uma programação cultural diversificada para agradar a todos. Assim é o Programa Reviva Centro, que promove apresentações de chorinho, jazz e blues, MPB, MPM e reggae”, destaca o secretário municipal de Cultura Marlon Botão.

O show de Chiquinho França vai animar o público no sábado (9), às 17h30, no Complexo Deodoro, com a participação dos instrumentistas Oliveira Neto na bateria, Mauro Sérgio no baixo, Edson Bastos na guitarra/violão, e Charlinhos no teclado/acordeon. A apresentação contempla vários ritmos e estilos, saindo do blues, rock e passando pela brasilidade do choro, frevo, baião, toadas até a música erudita.

Compositor com vários prêmios pela Rádio Universidade do Maranhão, França tem músicas utilizadas como trilhas sonoras em programas como Globo Repórter, Fantástico e Globo News. É também produtor musical, com trabalhos coletivos que visam lançar artistas maranhenses no mercado nacional. O artista tem 40 anos de carreira, é natural de Santa Inês (MA) e bem visto pela crítica nacional por suas canções que passeiam por vários estilos musicais.

O domingo (10) começa às 8h com a Feirinha São Luís na Praça Benedito Leite, com programação cultural que se estende até às 15h. A Banda da Feirinha, show gospel de Niddy Almeida, grupo capoeira Angoleiras de Upaon-Açu, banda Filtro de Barro, Lena Garcia e Anastácia Lia e convidados integram as atrações.

A criançada vai acompanhar no Complexo Deodoro, às 17h, a apresentação Peppa Pig e sua Turma, que traz a famosa personagem do universo infantil, acompanhada do palhaço Acerola. A tarde promete ser de muita alegria com o show musical, que vai interpretar cantigas de roda, contar historinhas e fazer brincadeiras.

CHORINHO

O som agudo da flauta, acompanhado do trombone, pandeiro, violão e cavaquinho convida quem está passando pela Praia Grande a sentar e apreciar. è assim nas noites de sexta-feira (8), na Praça da Mãe d'Água, com a apresentação de choro do grupo Regional Deu Branco no Arte na Praça, que integra o programa Reviva Centro.

O grupo conta com os músicos Erivan Nery (flauta transversal), Jamil Cartagenes (cavaquinho), Cleyton Canhoto (violão 7 cordas), Kaike Brito (pandeiro) e Kleiton Groov (trombone). O repertório é formado por clássicos do choro, choros maranhenses e músicas autorais.

Criado em 2010, o Regional Deu Branco é formado por alunos da Banda de Música do Bom Menino, Escola de Música do Maranhão, Universidade Federal do Maranhão e Universidade Estadual do Maranhão. Além das apresentações, tem o intuito de pesquisar choros e seus principais compositores e difundir o gênero, com perspectiva de formação de plateia.

É a terceira vez que o músico Gabriel Fernandes, 24 anos, vem assistir ao chorinho. Ele toca flauta transversal no Cacuriá de Dona Tetê, Banda Legenda (reggae), Companhia de Teatro Tramando Fantasia e no grupo de chorinho Instrumental Pixinguinha. Fernandes fala que é genial a proposta da Prefeitura de realizar apresentações culturais gratuitas aqui no Centro.

“É um resgate da nossa própria música, forma de mostrar que existe música brasileira de qualidade, além de fazer resistência contra o machismo e racismo. O choro é fruto de uma miscigenação de ritmos, mistura de música africana com polca europeia, assim como o povo brasileiro é formado por vários povos. Por isso o choro mostra o que é o Brasil e o brasileiro”, opina.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem