agencia

Notícias

Quarta-feira, 27/11/2019 - 18h39

Estudantes da rede municipal da Prefeitura de São Luís aprendem de forma lúdica com ações do Festival Mundaréu

Evento prossegue até sexta-feira (29), na Reserva do Itapiracó; ação tem apoio da Prefeitura de São Luís e é realizado todos os anos pela Evoluir, com patrocínio da Alcoa

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Estudantes da rede municipal da Prefeitura de São Luís aprendem de forma lúdica com ações do Festival MundaréuMais de 700 estudantes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental da rede municipal da Prefeitura de São Luís participam, até sexta-feira (29), do Festival Mundaréu, que reúne, num só espaço, dança, música, capoeira, contação de histórias, jogos, brincadeiras, oficinas manuais, arte circense, e apresentações teatrais para crianças e adolescentes. Nesta quarta-feira (27), a maior participação foi de crianças de 4 a 6 anos da Educação Infantil, das Unidades de Educação Básica (U.E.Bs.) Professora Silvia Stella Fonseca Furtado, Joaquim Pinto e Professora Enedir Santos Paixão – todas localizadas na zona rural.

O Festival Mundaréu já está em sua 7ª edição, sendo realizado todos os anos pela Evoluir, com patrocínio da Alcoa, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cidadania do Governo Federal. Esta é a primeira vez que o evento é trazido à capital maranhense, com total apoio da Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed). Todas as atividades estão sendo realizadas na Praça da Família, na Reserva do Itapiracó, no Turu. “Sabemos que o lazer, as artes e a ludicidade são componentes essenciais para o crescimento e aprendizado das crianças. Motivo pelo qual abraçamos esta proposta, pensando no bem-estar dos nossos estudantes”, destaca o secretário de Educação, Moacir Mendes Feitosa.

Segundo a coordenadora do Festival Mundaréu, pela empresa Evoluir, Júlia Alves Cimionatto, o principal objetivo do evento é garantir o direito das crianças ao lazer e a atividades lúdicas e educativas, valorizando os espaços públicos da cidade. “Temos uma extensa programação artística e cultural acontecendo todos os dias, pela manhã e pela tarde, sendo totalmente gratuita e aberta ao público. Fizemos questão de contratar 14 companhias locais de artistas para animar e acompanhar as crianças nas atividades, como forma de valorizar a cultura do Maranhão”, conta Júlia Alves.

A coordenadora do Mundaréu explica que a ideia de ocupar espaços públicos para realizar o Festival traz consigo uma visão de reivindicação e ressignificação desses espaços, geralmente ociosos. “Sabemos que a Educação não acontece somente na escola, dentro de quatro paredes. Portanto, o Festival Mundaréu montou toda uma programação lúdico-educativa para envolver as crianças e mostrar a elas todo o seu potencial. Também pensamos em mudar o foco das famílias para o lazer e as brincadeiras que são possíveis nos espaços públicos, para tirá-las um pouco dos shoppings e outros espaços fechados. Precisamos valorizar a natureza, o meio ambiente, a cultura local e os espaços públicos, e por isso a Reserva do Itapiracó foi uma excelente opção”, assinala Júlia.

Giuliana Bastos Carvalho, técnica do Núcleo de Educação e Cultura (NEC) da Semed, é uma das responsáveis em acompanhar os estudantes da rede municipal de São Luís durante as atividades do Festival Mundaréu na Praça da Família. Segundo ela, cerca de 160 a 180 alunos participam diariamente das atividades do Festival. “São brincadeiras e apresentações muito valiosas para o crescimento e o aprendizado dos estudantes. As atividades multidisciplinares realizadas trabalham a psicomotricidade nas crianças e adolescentes. E, além de tudo isso, estamos tendo a nossa cultura local e os espaços públicos valorizados”, disse Giuliana Carvalho.

A gestora Salém Silva Nonato, da U.E.B. Professora Enedir Santos Paixão, levou cerca de 25 crianças da creche e do Infantil I e II para a Praça da Família, na Reserva do Itapiracó. “Amei este espaço e a possibilidade de oferecer algo a mais para os nossos estudantes. Eles estão tendo a oportunidade de brincar em um espaço amplo, diferente do pátio e da sala de aula, e com atividades lúdicas e diferenciadas. Excelente iniciativa”, destacou a gestora. A avó da pequena Elizabeth Santos Lima (de 4 anos), Nazaré Damasceno, disse que o espaço é muito bom para interação e socialização das crianças.

A estudante Amanda Rayanne Gonzaga Marques, de 6 anos, do Infantil II na U.E.B. Maria José Serrão, disse que estava amando brincar na praça, e que era comum os seus pais levarem ela e a irmã mais velha, de 15 anos, para brincar na Praça da Família, na Reserva, pois elas moram num bairro próximo, o Parque Vitória. “Gosto muito de correr, de subir em árvores e de desenhar e colorir. Mas, a brincadeira que mais gosto é pega-pega. Hoje, foi muito divertido, pois participei de outras brincadeiras”, comentou a estudante, que estava acompanhada por sua mãe, Célia dos Santos Gonzaga, e seu pai, Antônio José Silva Marques. “Sempre trago minhas filhas pra cá. Esta semana, então, é a segunda vez que eu venho. Acho muito importante pra formação delas”, disse Antônio José.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem