agencia

Notícias

Quinta-feira, 28/11/2019 - 10h50

Estudantes da Prefeitura de São Luís apresentam resultados de programa sobre o meio ambiente em evento no Convento das Mercês

Programa Ecoa é realizado em escolas da zona rural de São Luís e tem como objetivo conscientizar para a importância da preservação dos recursos naturais

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Estudantes da Prefeitura de São Luís apresentam resultados do programa Ecoa em evento no Convento das MercêsEstudantes, professores e gestores participaram, na tarde desta quarta-feira (27), da Celebração do Programa de Educação Comunitária Ambiental (Ecoa), realizada no Convento das Mercês, no bairro Desterro. Um momento para compartilhar os resultados dos projetos realizados, reconhecer o empenho dos estudantes e professores e comemorar o encerramento de mais um ciclo do programa Ecoa nas escolas da rede municipal da Prefeitura de São Luís.

O programa Ecoa é fruto da parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e Instituto Alcoa, realizado por meio da empresa Evoluir. É realizado em escolas da zona rural de São Luís e tem como objetivo conscientizar para a importância da preservação do meio ambiente e dos recursos naturais, a partir de um trabalho conjunto entre estudantes, professores, familiares e toda a comunidade escolar. As ações são pautadas na educação transformadora, no protagonismo infantil e na realização de projetos.

“O programa trabalha teoria e prática. Os estudantes estão aprendendo novos conteúdos a respeito de temas que também fazem parte do nosso currículo, das disciplinas, de forma transversal, produzindo, colocando a mão na massa. Com a exposição que realizaram neste evento pudemos comprovar o quanto foi rica essa aprendizagem que realmente traz mudança para a vida da comunidade escolar. ”, afirmou a secretária adjunta de Ensino, Maria de Jesus Gaspar Leite.

Este ano o programa está concluindo o segundo ciclo de atividades, realizado de 2017 a 2019. Neste ciclo, foi implementado em cinco escolas da rede municipal: U.E.B Rosilda Cordeiro, U.E.B Major Augusto Mochel, U.E.B Amaral Raposo, U.E.B Uruati e U.E.B Antônio Baldez. Estudantes, professores, gestores e a comunidade passaram por diversas etapas que incluem desde a construção do sonho que é quando os próprios alunos decidem o que querem melhorar na escola e a partir de então constroem seus projetos, até a realização desse sonho, quando colocam a mão na massa para fazer ele acontecer.

A educadora de campo da Evoluir, Thais Campos, trabalha diretamente com os alunos e acompanha todas as etapas do programa. Ela acredita que o programa mostra aos estudantes que eles são capazes de fazer suas próprias escolhas e construir juntos projetos que irão beneficiar a todos. “No programa os estudantes têm autonomia e o poder de serem os protagonistas, de saber que podem escolher o projeto que irão realizar na escola. O fato de estarem dentro de todo o processo e avançando com esse processo é a chave do poder de transformação, deles verem que podem mudar muita coisa da realidade deles e de tudo ao redor. ”, afirmou.

PROGRAMA

Na U.E.B Uruati, por exemplo, os estudantes desenvolveram o projeto “Valores, história, identidade: despertando o pertencimento a escola”, em que resgataram toda a história da escola desde a sua fundação. Com as pesquisas, identificaram fatos curiosos, dados históricos e personagens importantes para a construção da escola. Entre esses personagens, a educadora Maria de Morais Lobo, já aposentada, que foi convidada a voltar a escola e lá foi homenageada por toda a comunidade escolar.

Para a estudante Maria Emília Dias, aluna do 4º ano da U.E.B Uruati, o projeto ensinou que “devemos dar valor ao trabalho das pessoas, como da professora Maria de Morais Lobo e valorizar a nossa escola. Descobrimos que a escola era diferente e que hoje ela é muito melhor. Eu adoro estudar no Uruati”.

Já na U.E.B Major Augusto Mochel, os estudantes decidiram revitalizar a biblioteca da escola, criaram uma sala de leitura e construíram uma brinquedoteca, para estimular a leitura e o brincar. Para isso realizaram um diagnóstico da escola, identificaram as necessidades, definiram o objetivo do projeto, realizaram diversas oficinas e construíram jogos e brinquedos com material reciclado.

“O projeto Ecoa foi fantástico. As crianças se envolvem e ficam muito felizes. É um projeto que eles gostam muito, porque no momento que eles constroem juntos, eles sentem que aquilo também é deles, foi construído por eles. Eles ficam mais realizados, motivados e cuidam mais do espaço. É uma experiência que muda realmente a realidade da escola e da comunidade, pois o que aprendem na escola, eles levam para casa e para a sociedade de modo geral”, explicou a gestora da U.E.B Major Augusto Mochel, Angela Dutra.

A estudante do Anna Júlia Teixeira, do 5º ano do Augusto Mochel, disse que ficou muito animada em participar. “Eu gostei muito porque o programa ajuda as pessoas a se conscientizarem sobre o lixo, a não sujar o meio ambiente, a construir brinquedos com material reciclado como garrafa pet, caixa de leite, tampinhas. Foi muito bom tudo isso”.

Além do trabalho desenvolvido diretamente com os alunos, chamado de Missões Ecoa nas Escolas (realizado no contraturno escolar, círculo de aprendizagem e coletivos escolares), o programa Ecoa também realiza curso de formação de professores, desenvolvimento de projetos e acompanhamento pedagógico nas escolas.

O Ecoa acontece nas escolas de São Luís desde o ano de 2014 e já foi realizado também nas Unidades de Educação Básica (U.E.B.) Evandro Bessa (Estiva), Zebina Eugênia Costa (Tibirizinho), Gomes de Sousa (Vila Maranhão), Hortência Pinho (Coqueiro) e Arthur Nabatino Gonçalves de Azevedo (Pedrinhas). Na Semed o programa é coordenador pelo Núcleo de Educação Ambiental (NAE/Semed).

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem