agencia

Notícias

Terça-feira, 03/12/2019 - 18h24

Prefeitura de São Luís lança livro em cordel escrito por crianças integrantes de projeto da Biblioteca Municipal

Fruto do projeto ‘Brincando com o Cordel’, livro é de autoria coletiva e tem como tema a cidade de São Luís; ação integra a política de incentivo à leitura da gestão do prefeito Edivaldo

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura de São Luís lança livro em cordel escrito por crianças a partir de projeto da Biblioteca MunicipalO cordel é um gênero literário popular escrito de forma rimada, originado em relatos orais e impresso em pequenos folhetos. Muito popular na região Nordeste, foi esta literatura escolhida por oito crianças da comunidade do Bairro de Fátima para lançar seu primeiro livro, fruto do projeto ‘Brincando com o Cordel’, da Biblioteca Municipal da Prefeitura de São Luís, coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult). O cordel coletivo tem como tema a cidade de São Luís, exaltando em versos a capital maranhense e trazendo curiosidades locais, como lendas urbanas e pontos turísticos. Ação integra a política de incentivo à leitura da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior.

O secretário municipal de Cultura Marlon Botão destacou a importância da Biblioteca para a cidade e o incentivo do poder público no fomento à cadeia produtiva do livro. “A Prefeitura tem apoiado ao longo dos anos a criação de diversas bibliotecas comunitárias nos bairros de São Luís, com doação de acervo e catalogação de obras. Além disso, temos esta biblioteca municipal que precisa ser abraçada pelos ludovicenses, porque pertence a todos nós. Ver nossa biblioteca construir mais um projeto exitoso é uma grande alegria, este lançamento é uma satisfação e resultado de um trabalho em conjunto”.

A coletânea foi organizada pela cordelista Goreth Pereira, que no lançamento explicou sobre a origem do cordel em Portugal e como ele chegou e se popularizou no Brasil. Na oportunidade, ela também recitou um cordel seu e falou sobre a produção com as crianças. “Era um grande sonho fazer um projeto de cordel com o público infantil e com isso incentivar a produção literária, motivar o interesse pela leitura e valorizar este espaço da Biblioteca Municipal. Conseguimos realizar a produção oficial do cordel, que foi corrigido por profissionais da área, revisado e impresso em formato de livro de bolso”, frisou Goreth Pereira.

O lançamento contou com a presença dos alunos do C.E. Estado do Amazonas, Escolinha de Reforço Dolores Soares e U.E.B. São Sebastião, onde os autores Renato Lucas Pereira Gomes, Maria Eduarda, Mizael Lucas, Maria Vitória, Pedro Henrique, Yasmim de Jesus Araújo, Caio Lucas Santos e Byanca Raquel Pereira Texeira estudam, além de pais e pessoas da comunidade. A estudante do C.E. Estado do Amazonas, Emilly Geovanna, de 13 anos, entrou a primeira vez em uma biblioteca. “Sempre passava na frente e foi a primeira vez que entrei, agora vou voltar sempre e poder ler mais livros. Achei muito bom o cordel que está sendo lançado, porque mostra coisas do nosso cotidiano e sobre a cidade”.

Caio Lucas Santos, de 10 anos, foi um dos autores do cordel coletivo. “É a primeira vez que escrevo um livro, também não conhecia o cordel, aprendi a fazer no projeto. Gostei muito e pretendo continuar escrevendo outros livros”, contou o jovem escritor, aluno da U.E.B. São Sebastião, escola da rede municipal de ensino.

Na ocasião foi lançado ainda o novo projeto da Biblioteca: O Clube do Livro. “Nós temos um calendário de ações durante o ano todo que irá continuar e estamos com esses dois projetos novos, o Brincando com o Cordel, que segue em 2020, e o Clube do Livro. Nele, os participantes levam um livro para casa, todos leem a mesma obra e terá um calendário de encontros para debater sobre ela”, explicou a diretora da Biblioteca, Rita Oliveira. A primeira obra será o livro ‘Extraordinário’, de RJ Palacio, que já está disponível para empréstimo na Biblioteca. Os interessados em participar do Clube podem se inscrever na sede do equipamento, localizado na Rua do Correio - Bairro de Fátima, de segunda a sexta, das 8h às 18h.

A professora dos jovens escritores, Flávia Estela contou como os alunos passaram por esse processo. “Eles estavam muito empolgados, sempre levavam os cordéis para escola para corrigir, agora já querem escrever o próximo com histórias do bairro. Foi muito importante essa motivação para que eles frequentassem a Biblioteca, pois aqui que despertou estes talentos. Nós temos um equipamento público que forma novos agentes de cultura dentro da nossa comunidade”, disse a professora.

“O projeto tem a proposta de incentivar a leitura e convidá-los para frequentar a Biblioteca, mostrando que esse universo é divertido, um local de refúgio, de aprendizado. Neste primeiro momento fizemos uma iniciação à escrita do cordel, em que eles aprenderam a fazer versos, sobre as métricas, fizeram as estrofes que foram corrigidas e unimos em um cordel coletivo. Para nós é motivo de muita alegria e orgulho estar publicando essa obra, sendo até um incentivo aos familiares de impulsionar estas crianças para alcançarem outros sonhos. Nada melhor que fazer isso com a poesia popular, com versos que valorizam a cidade de São Luís, para que eles se apropriassem deste patrimônio que é a literatura de cordel”, ressaltou a organizadora, Goreth Pereira.

A cordelista também destacou os resultados que a obra está dando. “Já estamos colhendo alguns frutos, bons resultados com este projeto. O retorno deles é muito positivo, nos falam como a cultura os apresentou novas perspectivas e que a arte pode mudar suas realidades. Além da experiência maravilhosa de ver a dedicação dos alunos, nós nos inscrevemos para concorrer ao Troféu Gonzagão, uma premiação nacional para literatura de cordel. O Renato Lucas ganhou o prêmio deste ano, representando o Maranhão, e estamos apostando que levaremos nossa cultura e o nome da Biblioteca para este reconhecimento no ano que vem”, completou.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem