agencia

Notícias

Quinta-feira, 09/01/2020 - 14h37

Gestão do prefeito Edivaldo avalia ações para a saúde colocadas em prática em 2019 e traça metas para 2020

Gestão e acolhimento dos pacientes, melhora na infraestrutura das unidades de saúde, evolução na política de assistência às ISTs e de controle epidemiológico foram alguns dos ganhos da gestão do prefeito Edivaldo ano passado

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Gestão do prefeito Edivaldo avalia ações para a saúde colocadas em prática em 2019 e traça metas para 2020Representantes da área da saúde da Prefeitura de São Luís como superintendências, unidades básicas e mistas de saúde, de hospitais e de outros setores como a Central de Marcação de Consultas (Cemarc) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em reunião realizada nesta quinta-feira (9) no auditório Dr. Jackson Lago da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), avaliaram as ações no setor municipal no ano passado e traçaram metas para 2020. Dentre os objetivos, estão a entrega de reformas e recuperação de unidades, aquisição de novos equipamentos e aplicação de métodos que aperfeiçoem rotinas internas, reduzindo riscos de infecções hospitalares e de óbitos. Durante a atividade, foram destacados alguns dos principais avanços da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior no setor. 

O secretário de Saúde de São Luís, Lula Fylho, destacou como avanços a gestão e acolhimento dos pacientes nos últimos anos, além da modernização de unidades já existentes, como o Centro de Saúde Genésio Ramos Filho, na Cohab, reformado e entregue em novembro do ano passado pelo prefeito Edivaldo com novos consultórios e equipamentos, além de pintura e recuperação elétrica e hidráulica. Também foi feita a renovação da frota das ambulâncias e motolâncias do Samu, ampliação dos serviços de marcação de consultas (de 18 mil procedimentos mensais até agosto de 2017 para 209 mil em agosto do ano passado), dentre outros avanços.

Destaque também para a diminuição do quantitativo de macas nos corredores dos Socorrões I e II, em especial, com a implantação do programa Lean nas Emergências, que reduziu o índice NEDOCS de superlotação e o tempo médio de permanência (de 21 dias para 7 dias) de internação. Entre os feitos estão ainda a inclusão do Hospital Dr. Odorico Amaral de Mattos, o Hospital da Criança, no projeto Lean (uma parceria do Ministério da Saúde com o Hospital Sírio-Libanês) a partir deste ano. Também como resultado dos investimentos na área da saúde, em dois anos, triplicou o saldo de regulação de pacientes na rede pública por intermédio da Semus.

Os avanços no Hospital da Mulher, na Avenida dos Portugueses, também foram destacados. Mês passo o unidade de saúde recebeu a maior pontuação entre as unidades de saúde do estado do Maranhão quanto à execução do projeto de Reestruturação de Hospitais Públicos (RHP), viabilizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC). Em junho do ano passado a unidade também recebeu certificação do Patient Safety Movement, organização norte-americana que mensura o atendimento em hospitais do mundo, em reconhecimento ao comprometimento com a segurança dos pacientes. 

EVOLUÇÕES

Em 2020  a gestão do prefeito Edivaldo deverá consolidar os investimentos na área com mais ações em beneficio da população. A meta é reformar outras unidade de saúde além das que já estão em obra. Os centros de saúde do Quebra Pote e da Vila Sarney (cada um com obras em fase de finalização) estão prestes a ser entregues.

Outras unidades, como o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), na Alemanha, com 79,4% dos serviços executados e o Centro de Saúde da Vila Bacanga também estão em estágio avançado. “Este é o verdadeiro legado que a gestão do prefeito Edivaldo na área da saúde. O prefeito tem trabalhado visando ofertar o melhor serviço para a população. Nos últimos anos, os avanços neste sentido são evidentes”, disse o secretário.

Além dos avanços pode-se destacar as ações de controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), de controle epidemiológico (com a promoção de campanhas de vacinação e ações de controle vetorial do Aedes aegypti) e sanitário (com fiscalizações) e de assistência a públicos específicos, como os idosos, gestantes e pessoas com deficiência.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem