agencia

Notícias

Sexta-feira, 26/06/2020 - 17h41

Prefeitura de São Luís promove momento junino para pessoas em situação de rua acolhidas no abrigo provisório do Estádio Castelão

A comemoração simbólica seguiu as regras sanitárias exigidas como forma de continuar a garantir que nenhum caso de Covid-19 seja registrado nas 14 unidades de acolhimento da Prefeitura

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura de São Luís promove momento junino para pessoas em situação de rua acolhidas no abrigo provisório do Estádio CastelãoPara que a grande tradição cultural maranhense que é o período junino não se perdesse no meio da pandemia de Covid-19, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) promoveu, na manhã de sexta-feira (26), na Unidade de Acolhimento Provisório do Estádio Castelão, um café junino para a população em situação de rua abrigada na unidade. A comemoração simbólica seguiu as regras sanitárias exigidas como forma de continuar a garantir que nenhum caso de Covid-19 seja registrado nas 14 unidades de acolhimento da Prefeitura, incluindo as duas provisórias abertas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior em decorrência do novo coronavírus.

O café contou com a decoração e iguarias típicas da culinária desse período, a apresentação de um brincante do Boi de Santa Fé e uma exposição das pinturas realizadas pelos acolhidos durante as oficinas de arte desenvolvidas com eles no local. “Ainda não é como nós gostaríamos que fosse, a comemoração com nossas matracas e pandeirões, mas não poderíamos deixar de oportunizar esse momento tão forte da nossa tradição cultural junto com vocês. Quero agradecer pela confiança em toda nossa equipe e ao Governo do Estado do Maranhão pelas parcerias desenvolvidas, como a cessão desse espaço. A gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior não mediu esforços para assegurar o acompanhamento digno das pessoas em situação de vulnerabilidade social, principalmente, de quem mais precisa”, disse a secretária da Semcas, Andréia Lauande. 

Ronilson Roni, 33 anos, abrigado no espaço reconhece a dedicação dos servidores que atuam no local. “As pessoas aqui têm um carinho muito grande por nós, são atenciosas, respeitosas e pensar num momento junino como esse foi muito bom. Diante de tanta coisa, a gente pode esquecer um pouquinho o que ta acontecendo”, disse Ronilson.

NORMAS

Nesta sexta (26) completou três meses da abertura da Unidade de Acolhimento Provisório no Estádio Castelão. Desde de então, todos os usuários que chegam ao espaço passam por exames clínicos preliminares, como aferição da pressão arterial, entrevistas de saúde para coleta de dados sintomáticos e sobre históricos de doenças anteriores.

Os acolhidos também recebem cuidados de equipes de profissionais na área psicossocial e psiquiátrica, enquanto permanecerem nos alojamentos. Para casos considerados suspeitos e/ou sugestivos para a Covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas eles são encaminhados para outra unidade de acolhimento, cumprindo, assim, as determinações de isolamento social. Ao todo 332 pessoas foram acolhidas.

O trabalho desenvolvido pelas equipes juntos a esse público incluiu ainda, o recâmbio para suas cidades de origens de muita gente que estava de passagem na cidade, o amparo na realização do cadastro para recebimento do auxílio emergencial, concessão do Auxilio Eventual de Moradia, a reintegração aos lares de origem, entre outros. 

Outras unidades de acolhimento da Semcas, como as Unidades Acolher e Amar (destinada a crianças) e casa de Acolhida Temporária (voltada para abrigar famílias) também tem realizado alguma atividade típica do período junino para que os acolhidos não percam essa integração e valorização da cultura maranhense.  

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem