agencia

Notícias

Sexta-feira, 03/07/2020 - 16h48

Prefeitura de São Luís promove webinário para discutir volta às aulas e novas metodologias de ensino 

Na ocasião, temas como ensino a distância, ensino remoto e ensino híbrido foram abordados na palestra online que teve como objetivo conscientizar sobre a volta às aulas no pós-pandemia

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Com o objetivo de preparar e conscientizar sobre a volta às aulas neste novo momento que a humanidade atravessa, a Prefeitura de São Luís, por meio da Escola de Governo e Gestão Municipal (EGGEM), vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan), promoveu a palestra online "A integração de metodologias ativas e ensino remoto na formação de pessoas, um novo momento pós-pandemia", na manhã desta sexta-feira (3). Participaram do evento servidores públicos municipais, gestores, alunos, professores, colaboradores e a Rede de Capacitação de Recursos Humanos da Prefeitura de São Luís.

O evento foi aberto pela diretora da instituição, Maria Eugênia Branco, e pelo secretário municipal de Planejamento, José Cursino Moreira, que destacou a importância do evento. “Iremos reiniciar as atividades após este difícil período de pandemia. O encontro tem tudo a ver com o novo momento, e auxiliará a assimilar as novas técnicas para serem implementadas com intensa programação nas escolas”, disse o secretário.

A ação marca os 15 anos da Escola de Governo, a serem celebrados este mês, e ao mesmo tempo, o retorno da EGGEM às atividades de capacitação, dando continuidade ao Programa de Educação Continuada 2020. 

O webinário foi mediado pelo professor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e Faculdade de Negócios (Faene), Ricardo Carreira, encarregado de compartilhar sua experiência para enfrentar os desafios que o momento atual exige. Carreira frisou o receio tomado por todos após a pandemia se consolidar no país, que obrigou as escolas a suspenderem aulas e causou muitas incertezas quanto ao futuro acadêmico neste ano de 2020.

“Fomos ‘arrancados’ das salas de aula ainda no mês de março, e isso causou muitas preocupações, principalmente por questões relacionadas à saúde e à economia. O sistema educacional sentiu o impacto, e tivemos que buscar adaptação diante deste cenário. Protocolos já foram desenvolvidos, então, a educação tem um papel fundamental diante disso tudo, e precisamos estar preparados para esse retorno. As adversidades geram oportunidades, algumas portas se fecham, mas outras se abrem, e você precisa estar preparado para agarrar as oportunidades”.
 
O professor falou sobre o desenvolvimento de uma atividade híbrida, com o auxílio da tecnologia e as possibilidades que as ferramentas específicas oferecem. De acordo com Ricardo Carreira, o nível de aprendizagem precisa ser democratizado, compartilhar experiências, o que aprendeu durante esse período de isolamento social e aplicar dentro do dia a dia. “Precisamos nos familiarizar um pouco mais com as tecnologias, aproveitar os aplicativos, utilizar as metodologias através das novas ferramentas e ampliar os horizontes. Integrar, conectar e compartilhar”.

Para Carreira, neste momento, o professor sai do âmbito macro, de amplo responsável, para ser componente, em que os alunos, participantes, internos e externos, fazem parte desse processo de reinvenção do ambiente escolar. “Essa evolução se evidenciou agora, mas já ocorre há um bom tempo, e foi acelerada devido à pandemia. Temos que estar preparados para ela. Há críticas quanto ao ensino virtual, mas o modelo está conquistando o seu espaço. Assim como os app que chegaram pra ficar, o ensino pode preencher o espaço atual. A evolução do ensino e aprendizagem é natural, e o conhecimento não pode ser mais restrito, hoje, e, sim, mais democrático”, ressaltou o professor, reconhecendo as dificuldades que muitos encontram para ter acesso a esse tipo de ensino, além de uma internet adequada. 

Ricardo Carreira pontuou que todos esses paradigmas desenvolvidos não serão em vão. “O modelo não está totalmente pronto, é preciso a contribuição de todos, desenvolvendo a educação, se adequar a ele, pois vai continuar. Talvez, não 100%, mas será continuado daqui pra frente, pois as salas não têm mais muros. É uma oportunidade de trocar experiências e democratizar o ensino”, disse ele.
 
METODOLOGIAS

O professor ainda fez uma explanação sobre as peculiaridades entre as novas metodologias de ensino. Carreira explicou que o ensino a distância se trata de um ensino pacote, modelagem pronta e replicada para várias turmas, enquanto o remoto é transformação de tudo que se fazia no espaço físico, agora, feito de forma online, mais ao vivo. 

Carreira discorreu também sobre o ensino híbrido, que se pavimenta como um caminho a seguir, um pouco de tudo, inclusive presencial. Uma metodologia que agrega padrões, aulas ao vivo, modelagem e momentos presenciais. Uma tendência do processo de ensino aprendizagem, tanto no ensino médio quanto no fundamental e superior (em que a realidade já é mais efetiva.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem