agencia

Notícias

Sábado, 18/07/2020 - 09h43

Professora da rede de ensino da Prefeitura de São Luís é top 50 no prêmio Educador Nota 10

Marcelia Leal usou a criatividade e inspirou estudantes com aulas da língua inglesa utilizando como instrumento didático a força da cultura reggae na capital; o projeto é o único do Maranhão que está entre os finalistas

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Professora da rede de ensino da Prefeitura de São Luís é top 50 no prêmio Educador Nota 10Com o projeto “Reggae, uma Arte de Resistência”, a professora de língua inglesa da rede de ensino da Prefeitura de São Luís, Marcelia Leal, da escola municipalizada Unidade Integrada Maria do Carmo Abreu da Silveira, no bairro Cruzeiro do Anil, está entre os 50 finalistas do prêmio Educador Nota 10, que seleciona trabalhos que servem de inspiração para todos os educadores do Brasil. Os projetos foram realizados em 19 estados e abrangem da Educação Infantil ao Ensino Médio, incluindo a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Aproximadamente 230 estudantes das turmas de 7º ao 9º ano (oito turmas no total) da U.I. Maria do Carmo Abreu da Silveira participaram do projeto. Foram realizadas rodas de conversas com os estudantes e mini shows na escola, com a participação de vários músicos do estilo reggae da cidade. O projeto teve início em agosto do ano passado, nas aulas da disciplina de língua inglesa da professora Marcelia Leal, com encontros e aulas focadas no estudo do reggae. Os estudantes puderam conhecer a história e as músicas desse estilo marcante em São Luís.

“Parabenizo a professora da rede municipal, Marcelia, que dá exemplo de criatividade ao usar a força do reggae como recurso didático, uma iniciativa que valoriza e preserva a cultura local, além de facilitar o aprendizado”, ressaltou o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa.

Sobre estar como finalista, a professora Marcélia Leal diz que “chegar entre os 50 finalistas é muito orgulho, este projeto é o único do Maranhão, agora vamos torcer para chegar entre os 10”, comemorou. A professora explicou como funcionou a metodologia do projeto. “Contou na primeira etapa com pesquisa e tradução de músicas, tanto de artistas locais, quanto nacionais e estrangeiros, estudos sobre o movimento Rastafári, a origem das cores da bandeira e vestimentas, e ainda sobre a trajetória de vários grupos e cantores de reggae, como Bob Marley. Na outra etapa do projeto, grupos e cantores de reggae fizeram mini shows na escola, onde foram homenageados. Cada turma ficou responsável por pesquisar e produzir uma homenagem a um cantor ou grupo”, explicou. Os encontros contaram com a presença de Dub Brown, Sly Foxx, Raiz Tribal e Filhos de Jah, ocasião em que os estudantes recepcionaram os artistas com um coro, trazendo clássicos do reggae.

MUSEU DO REGGAE

Fez parte do projeto “Reggae, uma arte de resistência”, a visita de cerca de 100 estudantes da escola municipalizada Unidade Integrada Maria do Carmo Abreu da Silveira ao Museu do Reggae, localizado na Praia Grande, onde foram recepcionados pelo diretor do Museu do Reggae, Ademar Danilo, que falou sobre a importância que o reggae tem para a formação cultural contemporânea.

O PRÊMIO

Com a participação, este ano, de 3.761 educadores, o prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. Reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país.

O prêmio tem o patrocínio da Fundação Lemann, Somos Educação e BDO, e o apoio da Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef. Desde 2018, o prêmio Educador Nota 10 é associado ao Global Teacher Prize, prêmio global de Educação.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem