agencia

Notícias

Terça-feira, 15/01/2019 - 14h47

Prefeito Edivaldo vistoria obras de casarão destinado a habitações sociais no Centro Histórico

Obra está sendo realizada pela Prefeitura em parceria com o Iphan e visa atender famílias em situação de vulnerabilidade social e que já moram na área

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeito Edivaldo vistoria obras de casarão no Centro Histórico destinado a habitações sociaisO prefeito Edivaldo Holanda Júnior e o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Maurício Itapary, vistoriaram, na manhã desta terça-feira (15), as obras de restauração do casarão 195 e 205, localizado na Rua da Palma, Centro Histórico. O prédio é um dos três imóveis que estão sendo restaurados pela Prefeitura de São Luís em parceria com o Iphan, para atender a habitações de interesse social destinadas a famílias em situação de vulnerabilidade social e que já moram no Centro Histórico da capital. Juntos eles somam 41 unidades habitacionais. Datado de meados do século XIX, o casarão da Rua da Palma está sendo restaurado e requalificado para oferecer 14 apartamentos de interesse social. A obra é coordenada pela Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph).

"Em parceria com o Iphan temos realizado grandes investimentos para a revitalização de toda a área do Centro Histórico da nossa cidade. E a restauração desse prédio é mais uma obra grandiosa executada também nesse sentido, mas que tem um aspecto positivo a mais, que é o de valorizar não apenas o patrimônio físico, mas também o patrimônio humano, a nossa gente, dando condições de moradia digna a famílias que vivem nesta área", afirmou o prefeito Edivaldo, que na vistoria esteve acompanhado pela primeira-dama Camila Holanda e pelo vice-prefeito Julio Pinheiro.

A proposta de restauração dos imóveis para uso residencial é uma iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo, que se caracteriza pela requalificação do espaço urbano e melhoria da qualidade de vida de moradores e usuários do Centro Histórico de São Luís.

O projeto foi elaborado dentro dos padrões estéticos do antigo imóvel, que estava em ruínas, com o mínimo de interferência na autenticidade do prédio. O casarão tem aproximadamente 800 metros quadrados distribuídos em dois pavimentos. Cada apartamento construído no espaço terá sala; de um a três quartos; cozinha com lavanderia integrada à sala e um banheiro social. 

IDENTIDADE CULTURAL

O superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary, destacou a obra de restauração do imóvel como de grande importância para a identidade cultural do Centro Histórico e valorização dos cidadãos que serão contemplados com a habitação social.

"É mais um projeto emblemático que demarca a junção de esforços entre a Prefeitura de São Luís e o Iphan para a revitalização de espaços, prédios e monumentos históricos da capital que é patrimônio cultural da humanidade. Temos realizado um grande trabalho conjunto com vistas à restauração de espaços com forte identidade cultural para a cidade", observou Itapary, destacando ainda outras obras realizadas com a finalidade de revitalizar a área central de São Luís, como o Complexo Deodoro e Rua Grande e a Praça Pedro II, além de outras em andamento como é o caso do Museu da Gastronomia. 

 

O vice-prefeito Julio Pinheiro destacou o caráter social do projeto. "A restauração desses imóveis cumpre importante papel social e dá dignidade de moradia a famílias em situação de vulnerabilidade habitacional e social, que vivem de forma insalubre. São obras fruto de um conjunto de forças que permitem que esses espaços retornem à vivência da cidade, além de garantir a manutenção do Centro Histórico que é de extrema importância para a cidade e para o mundo", disse o vice-prefeito.

DIVERSIDADE

A obra de restauração do casarão da Rua da Palma conta com a supervisão da Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (Fumph). De acordo com o presidente da Fumph, Aquiles Andrade, a revitalização de áreas históricas deve ser pensada considerando-se a diversidade de uso desses imóveis e espaços públicos. "E é isso o que tem sido feito em São Luís. A habitação é um dos pontos chaves para se promover a revitalização dessas áreas, pois vai atender pessoas que já têm uma relação muito forte com a dinâmica do Centro Histórico e um sentimento maior de apropriação e pertencimento pelo local, portanto, nada mais salutar que inserir essas famílias no processo de revitalização, além de retirá-las da situação de vulnerabilidade social e habitacional em que vivem", enfatizou Aquiles Andrade.

A Prefeitura de São Luís está com projetos de restauração em outros dois casarões do Centro Histórico da capital, também destinados a habitações de interesse social, para atender a famílias de baixa renda. Entre eles estão o prédio 445 da Rua do Giz, onde serão construídos oito apartamentos; e o 445 e 459, também na Rua da Palma, com projeto para edificação de 19 residências. Ao todo, serão 41 unidades habitacionais de interesse social criadas com as obras de restauração dos três casarões.

DESENVOLVIMENTO

O processo de revitalização da área é realizado levando-se também em conta outras vertentes importantes. Além da criação de habitações para atender a famílias que vivem no local em situação vulnerabilidade social, o processo de revitalização do espaço visa ainda desenvolver projetos de caráter institucional, econômico e cultural, para promover o desenvolvimento dessas áreas e propiciar uma dinâmica maior ao local, como foi a criação da Casa do Bairro, instituição voltada ao desenvolvimento de atividades sociais destinadas aos moradores da região.

Também participaram da vistoria à obra do casarão da Rua da Palma, os secretários municipais Socorro Araújo (Turismo), Antonio Araújo (Obras e Serviços Públicos) e Ivaldo Rodrigues (Relações Parlamentares), o presidente do Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur), Fábio Henrique Carvalho e o subprefeito do Centro Histórico, Joaquim Azambuja.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem