agencia

Notícias

Segunda-feira, 18/11/2019 - 14h48

Programação cultural gratuita promovida pela Prefeitura de São Luís aos fins de semana anima Complexo Deodoro

Parte do programa Reviva Centro, iniciativa do prefeito Edivaldo reúne nos fins de tarde dos sábados e domingos atrações culturais para toda a família

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura oferece programação cultural gratuita aos sábados e domingos no Complexo DeodoroO Complexo Deodoro serve de cenário para variadas apresentações artísticas que têm movimentado o local sempre aos sábados e domingos nos fins de tarde, atraindo famílias inteiras. No domingo (17) foi dia da programação voltada para o público infantil. A criançada se divertiu com os palhaços. No sábado (16), o reggae tomou conta do espaço. As apresentações integram o Arte na Praça, que faz parte do Programa Reviva Centro, promovido pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior e coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

"Uma variedade cultural para todos os públicos. Essa é a marca do programa Reviva Centro, que promove semanalmente programação gratuita em diferentes pontos da área central de São Luís. Não foi diferente neste sábado e domingo, que contaram com apresentação da Orquestra Maranhense de Reggae e recreação infantil no Complexo Deodoro", destaca o secretário municipal de Cultura Marlon Botão.

No domingo (17) os palhaços Foguinho e Azedinho fizeram muitas brincadeiras, acrobacias circenses, recreação e muita palhaçada. Até os adultos presentes entraram na diversão. A dupla surgiu em um projeto social, o circo escola, em que aprenderam a arte circense e aperfeiçoaram suas técnicas ao longo dos anos, criando os Tripalhaços, um espetáculo de circo maluco.

Em seguida, ainda no domingo, foi a vez da Banda Vagalume animar os pequenos com um repertório que passeou pelos clássicos da música infantil como Xuxa, Trem da Alegria e Balão Mágico, até músicas infantis mais atuais como Palavra Cantada, Pequeno Cidadão, Partimpim, Galinha Pintadinha e Monster High.

Bonny e Rafael Oliveira levaram os filhos Léo, de 1 ano e 10 meses, e Lara, de 5 anos para aproveitar a programação. “Eles adoram, a gente vem todo domingo, eles que pedem. O que mais gostam é das atividades recreativas que interagem com o público e eles podem brincar”, contou a mãe.

Quem também aproveitou o show da Banda Vagalume foi a pequena Laisa Victória, de 4 anos. Ela estava acompanhada de sua avó, Antônia Sousa. “Somos de Humberto de Campos e viemos passar o feriado na casa da minha irmã, então ela nos falou da programação e viemos conferir. Está maravilhosa, queremos vir outras vezes”, disse.

A banda infantil ‘Vagalume Rock Band’ surgiu de uma ideia da produtora Hérika Fernandes em aliar músicas tocadas ao vivo com contação de histórias da literatura infantil. Depois de algumas apresentações, vários pais que assistiam com seus filhos fizeram sugestões de que ela montasse uma banda com um repertório voltado exclusivamente para a criançada. Desde 2012, ela e mais cinco músicos formam a Banda Vagalume, com Fernanda Monteiro (vocal), Hugo César (guitarra), Melannie Carolina (baixo), Jesiel Bives (teclado) e Franklin Nazarius (bateria).

Eles já fizeram a alegria em vários eventos pela cidade, como Carnaval com marchinhas e frevos de músicas infantis, arraiais e Dia das Crianças, além de desenvolverem um trabalho de ação social com a Caravana Vagalume em bairros periféricos de São Luís, levando arte como elemento de inclusão e transformação social.

REGGAE

No sábado (16), às 18h, aconteceu o Arte na Praça no Complexo Deodoro com apresentação da Orquestra Maranhense de Reggae (OMR), que executa a música jamaicana, brasileira e maranhense de forma instrumental e cantada, difundida em uma releitura que valoriza os ritmos culturais em fusão com o reggae.

A OMR tem como integrantes Ernildo Vieira e Jauberte Lobato no trompete, Adriano Cortez e Enilson Carvalho no trombone, Léo Costa no sax alto, Magno Rocha no sax barítono e Railson no sax tenor. O grupo também conta com João Victor Carvalho, no teclado, Eduardo Ferreira, na guitarra, Wilson Neto, no baixo, Marcel Pereira na bateria e Vanessa Furtado e Victor como vocalistas.

Há destaque para os arranjos que exploram a sonoridade dos instrumentos de sopro que, em consonância com os instrumentos harmônicos e percussivos, promove um som vibrante e atrativo à interação do público.

A professora Francisca Elias e as amigas Laina Caroline, estudante, Denis Bessa e Eglajef Oliveira, também professoras, estavam em outro espaço cultural do Centro e foram convidadas para assistir ao Arte na Praça.

“É a primeira vez que a gente vem. Amo reggae porque tem algo que mexe com a espiritualidade, além de ter uma raiz revolucionária. Não sabia que tinha uma orquestra de reggae, vou acompanhar a partir de agora a agenda deles. O Reviva Centro é uma forma de reconhecer o papel da cultura para a sociedade, fomentar a cultura como direito social”, opina Francisca Elias.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem